quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Feliz 2010 para todos !!!!!!

Mais um ano chega ao fim e com ele temos a certeza de que tudo que passou servirá somente de experiência para enfrentarmos novos desafios.
Espero que 2010 seja um grande ano para toda a aviação e que o progresso e o desenvolvimento sejam os pilares de sustentação das atividades aéreas brasileiras e mundiais.
Desejo um ano novo repleto de saúde e paz para todos os povos deste planeta e para os amigos que acompanham este blog um ano de 2010 muito próspero com saúde e muita alegria.

Feliz 2010 para todos !!!!

São os votos de José Carlos Fernandes .

sábado, 19 de dezembro de 2009

2014...2016... Será que vai melhorar?

Está chegando o momento do Brasil ser visto pelo mundo como uma potência que desponta para a nova econômia e para a nova ordem mundial. Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016 são dois eventos de extrema grandeza e que demandam uma total organização do nosso país em todos os aspectos. No campo da aviação que é o que nos interessa , ainda temos muito a melhorar e consequentemente a evoluir. Nossos aeroportos ainda carecem de uma maior estrutura para apoio ao passageiro e interligações com outros tipos de transportes ( modais). Nossas empresas aéreas precisam ser mais ágeis no atendimento e no cumprimento dos horários para não causar o que já foi chamado de caos aéreo em anos anateriores. A Infraero e o Ministério da Defesa devem entrar em sintonia para que o controle do espaço aéreo e das operações nos aeroportos sejam dinamizadas e efetuadas com preocupação total na segurança de vôo, pois com o volume de tráfego aéreo, que praticamente quadriplicará por ocasião desses eventos aqui no país, um controle mais apurado de todo o espaço aéreo deverá ser o item nº 1 a ser planejado e executado.
Tenho plena convicção de que nosso país é capaz de mostrar para o mundo a nossa experiência com a aviação civil e até inovar nesse campo, mas se não começar desde já poderemos correr o risco de fazer tudo às pressas e quando se faz algo com pressa erros podem acontecer e erros na aviação podem ser fatais.

domingo, 6 de dezembro de 2009

ANAC entrega certificado do jato EMB 505 – Phenom 300, da Embraer

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) entregou no último dia 03 de dezembro, o Certificado de Homologação de Tipo (CHT) da aeronave Embraer EMB-505, comercialmente conhecida pelo nome Phenom 300. A partir da certificação, a aeronave tem a autorização da ANAC para iniciar as operações no Brasil. O documento garante, também, que o modelo EMB-505 seja validado por outras autoridades aeronáuticas estrangeiras. A entrega do certificado aconteceu na sede da Embraer, em São José dos Campos (SP), pela diretora-presidente da ANAC, Solange Paiva Vieira.
O processo de certificação segue as recomendações da Organização Internacional de Aviação Civil (OACI) e, após concluído, comprova que a ANAC verificou as condições da aeronave para operar com segurança. Para conceder o CHT, a ANAC avaliou em torno de 700 documentos técnicos (relatórios de engenharia, manuais) e realizou inspeções e acompanhamento de ensaios (testes em que o jato é utilizado nas mais diversas condições de operação para comprovar seu funcionamento de acordo com as normas técnicas). Alguns exemplos são o uso da aeronave sob calor intenso ou neve, situações metereológicas adversas (tempestades com raios), a resistência a interferências eletromagnéticas nos sistemas da aeronave, a capacidade máxima de utilização dos motores, entre outros. Todos os componentes do modelo e os equipamentos a bordo passam pelo crivo da ANAC.
Depois de 38 meses de trabalho de engenheiros, pilotos, inspetores e pessoal de suporte, o EMB-505 - Phenom 300 cumpriu todos os requisitos de aeronavegabilidade exigidos pelas normas brasileiras e internacionais de aviação civil. Outro jato executivo da Embraer, o EMB- 500 – Phenom 100, já possui CHT, emitido pela ANAC em dezembro de 2008.
Durante a certificação, também são realizadas reuniões técnicas com autoridades estrangeiras e, nas próximas semanas, o órgão regulador da aviação civil nos Estados Unidos – a Federal Aviation Administration (FAA) – deverá concluir a etapa de validação do certificado do jato da Embraer para aquele país, baseado no CHT concedido no Brasil. Está prevista para 2010 a validação pelo órgão regulador europeu (EASA). Com a certificação desse modelo também pelas autoridades da aviação civil estrangeira, o fabricante poderá exportar e operar o EMB-505 - Phenom 300 nos Estados Unidos e Europa.
Fonte : Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

SIPAT 2009 -Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Antonio Carlos Jobim-Galeão

Na semana de 23 a 27 de novembro aconteceu o evento denominado de semana interna de prevenção de acidentes no trabalho (SIPAT), no Aeroporto Internacional do Galeão,com várias palestras e atividades para o público em geral, já que, neste ano, o evento ocorreu no saguão do aeroporto onde todos que passavam por ali podiam participar assistindo às palestras ou visitando os diversos estandes ali montados.

No dia 25 o tema da palestra foi "voar é seguro" e fui convidado para falar sobre o assunto. Fiquei muito contente com o convite e por poder falar ao público em geral sobre um tema que ainda é muito questionável , pois nem todos confiam que voar é seguro.
Falar sobre o tema acima para uma platéia heterogênia, mas onde todos estavam envolvidos na aviação ou em trabalhos relacionados a área aeroportuária, foi um desafio bastante interessante. A atividade desenvolvida por todos os funcionários do aeroporto e das companhias aéreas que ali operam, como também as empresas de serviços auxiliares e as demais que compõem esse complexo, são extremamente importantes e podem ajudar imensamente a aumentar a segurança de um voo se todos trabalharem dentro dos preceitos de que, a segurança no trabalho, tem que ser o alicerce para o desenvolvimento das tarefas por elas executadas. Falar de segurança de voo sem levar em consideração o elemento humano é falar de algo que não tem sentido. A segurança tanto de voo como a do trabalho depende do homem, ou seja, temos que trabalhá-lo para que a filosofia da segurança possa ser colocada em prática. Aspectos relacionados ao ambiente de trabalho como exposição ao ruido, às intempéries , a pressão do tempo para liberação de serviços, jornadas de trabalho prolongadas, utilização de ferramentas inadequadas , etc, levam o elemento humano a desenvolver uma atmosféra de insegurança. Os fatores humanos devem ser estudados e trabalhados para que se possa desenvolver um âmbiente onde o homem possa trabalhar em segurança e com consciência de que ele é a segurança. Segurança só existe se houver prudência. De nada adianta ter um equipamento de última geração e um local de trabalho com todos os recursos, se o homem não agir com prudência naquilo que faz. Por isso, trabalhar o elemento humano nos dias de hoje é mais importante do que o desenvolvimento tecnológico. As modernas aeronaves possuem equipamentos de alta tecnologia que foram concebidos para não falhar no aspecto operacional , mas ainda dependem de informações inseridas pelo homem e por isso os erros ainda acontecem, mas podemos afirmar que voar ainda é seguro devido ao grande trabalho realizado no campo da aviação civil nessa área de fatores humanos, mas se com o avanço tecnológico e com as demandas comerciais onde o lucro vem acima de tudo , o elemento humano for esquecido aí poderemos começar a temer que algo poderá acontecer com a segurança de voo.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Mês de Aniversário do Blog


Parece que foi ontem , mas já estamos chegando a dois anos de convívio. Neste mês de Novembro o Fernandes- Aerobrasil está completando 24 meses no ar.
É difícil manter um blog atualizado , mas temos nos esforçado para isso. Gostaríamos de agradecer a colaboração de todos os amigos do blog durante esta jornada e agradecer também a todos aqueles que acessam o blog diariamente em vários países, principalmente nos de língua portuguesa e Estados Unidos. Esperamos permanecer no ar por muitos e muitos anos e contando sempre com as idéias e sugestões de todos vocês.
Mais uma vez obrigado a todos e parabéns ao nosso blog.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Valeu a pena !


Muito bom o show aéreo apresentado no último dia 18 de outubro (domingo) no Campo dos Afonsos no Rio de Janeiro. O ponto culminante como sempre foi a impecável apresentação da magnífica Esquadrilha da Fumaça com suas acrobacias de tirar o fôlego.
Um grande público esteve presente ao evento em comemoração a semana da asa. Pela manhã, o dia parecia que ia ficar carregado de nuvens e chovendo, mas a partir das 10 horas da manhã o sol mostrou a cara e o dia ficou perfeito para os aviadores e para o público. Com muito sol ainda, às 16 horas, deu-se o início da apresentação da Esquadrilha da Fumaça que durante uma hora mexeu com a emoção daqueles que amam aaviação.Ao término da apresentação, já na última manobra, o céu parecendo sentir o final da apresentação começou a ficar carregado de nuvens novamente e foi como se estivesse confirmando que naquele dia o sol só apareceu por causa da nossa aviação brasileira.


Fotos: Alessandra Rainha

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Segurança na Aviação Civil

A ANAC lançou uma campanha que alerta pilotos , mecânicos , passageiros e proprietários de aeronaves particulares, agrícolas e de táxi aéreo para fatores que contribuem para a elevação dos níveis de segurança operacional. Serão divulgados cinco cartazes em aeródromos onde opera a aviação agrícola e geral , escolas e aeroclubes. Estes cartazes trazem dicas sobre planejamento de voo, manutenção, treinamento e reciclagem de pilotos, condições meteorologicas e táxi aéreo pirata (aeronaves particulares fazendo transporte público sem autorixação da ANAC, com o consentimento dos passageiros, e sem os requisitos necessários de segurança). O lema da campanha é " Segurança:depende de você".

Museu Aeroespacial -Show Aéreo

No próximo dia 18 de outubro (domingo) será exibido o tradicional show aéreo do Museu Aeroespacial do Rio de Janeiro, localizado no Campo dos Afonsos. Este evento anual e tradicional reune milhares de fãs da aviação civil e militar e, contempla a todos, com um show aéreo fascinante da Esquadrilha da Fumaça entre outras atrações como a exposição de raríssimos modelos de aeronaves antigas, exposição de helicópteros, equipe WingWalking ( balé aéreo) , etc.

Vale muito a pena levar as crianças , os pais, avós , amigos e vizinhos para apreciarem este evento que muito acrescenta ao conhecimento sobre a aviação.

O museu Aeroespacial fica na Av. Marechal Fontenelle,2000 no Campo dos Afonsos.

O tel para contato é 21-2108 -8954.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Pedaço da História - Fábrica de aviões do Galeão- RJ

Poucos sabem , mas existiu sim uma fábrica de aviões onde hoje é o aeroporto internacional do Rio de Janeiro-Antonio Carlos Jobim, o Galeão.

Na década de 30 , quando a aviação estava em plena expansão pelo mundo, a companhia norte-americana Curtiss Wright Export Corporation , se mostrou interessada na construção de uma fábrica de aeronaves no Brasil e , para viabilizar esse empreendimento, foi criada uma comissão designada pelo Ministério da Viação e Obras Públicas, com a colaboração de representantes da aviação Naval e Militar para organizar as bases necessárias para a implantação de tal projeto. Essa iniciativa não logrou êxito , mas originou uma preocupação com a necessidade de implantar uma fábrica que pudesse suprir as aeronaves da Aviação Naval. A marinha já havia importado no período de 1927 a 1935 cento e quarenta e três aeronaves e destes cerca de 60 estavam parados por falta de manutenção.

Depois de ter enviado aos Estados Unidos um grupo de aviadores para negociar com as indústrias americanas a instalação de oficinas de manutenção aqui no Brasil, em 1938 foi lançada a pedra fundamental para a construção de uma estrutura de 19000 metros quadrados de área coberta na área do Galeão. Mas quem se interessou de fato por se instalar no Brasil foram os Alemães. Daí para fabricar o primeiro avião foi só questão de tempo e, tempo que passou rápido. Em 1939 já se fabricava o Focke Wulf-44, batizado no Brasil de "Colibri". Esse avião era o mais fabricado no mundo naquela época sob licença, ou seja, a fábrica alemã autorizava a construção dessas aeronaves em várias partes do mundo e, inclusive, com a transferência de tecnologia.

Em 1941 , com o surgimento do Ministério da Aeronáutica, o projeto alemão de construção de aeronaves no Brasil entrava em sua etapa final. Este ministério assumiu os ativos da Aviação Militar e da Aviação Naval ( Oficinas navais da Ilha do Galeão) que passaram a ser denominadas de Fábrica do Galeão. Para essa nova fase, o ministério recorreu aos Estados Unidos para poder prosseguir com a fabricação de aeronaves. O modelo selecionado foi o Fairchild M-62A Cornell mais conhecido como PT-19. Um primeiro lote de 20 aeronaves foram construídas com peças americanas e depois foram construídas mais 200 aeronaves desse tipo com componentes brasileiros.

Em 1952 chega ao fim a era de ouro da fabricação de aeronaves no Rio de Janeiro. Nesse período foram feitos apenas alguns testes e modificações no projeto original dos PT-19.

Mais informações acesse o fotolog do Terra no endereço:


http//fotolog.terra.com.br/ilhadogovernador:98


Fonte: A Crise da Industria Aéronáutica Brasileira: 1945-1968

De Roberto Portella Bertazzo

Universidade Federal de Juiz de Fora -2003


segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Conhecimento ao alcance de todos

No início do último mês de Setembro , a Biblioteca da ANAC passou a integrar a Comutação Bibliográfica (Comut). A rede que integra centenas de bibliotecas brasileiras e estrangeiras, permite através de serviços de informação nacionais e internacionais, a obtenção de cópias de documentos técnico-científicos disponíveis nos seus acervos, como periódicos, teses, anais de congressos, relatórios técnicos e partes de documentos. A rede Comut integra as maiores bibliotecas do Brasil – como a Biblioteca Nacional, as bibliotecas da FGV, da PUC-RJ e do Congresso Nacional, e do mundo – como a British Library (Inglaterra) e a Biblioteca Nacional de Espanha. As solicitações de material da ANAC podem ser feitas pelo e-mail biblioteca.sep@anac.gov.br ou pelos telefones (21) 3501 2870 ou (21) 3501 2871. Para conhecer o acervo da ANAC clique aqui

Fonte: Notícias ANAC edição 25/09/2009

sábado, 3 de outubro de 2009

Boeing forma mecânicos de manutenção na China

O Centro de Treinamento Técnico da Boeing em Xangai , China, formou em agosto último, 35 técnicos visando cumprir o início dos requisitos para atender a demanda de 3770 novas aeronaves que serão entregues nesse país ao longo dos próximo 20 anos. Este programa altamente bem sucedido , que começou no ano passado, já formou 93 técnicos que estarão na demanda de um mercado onde as horas de manutenção deverão crescer entre 8 a 10 por cento nos próximo 5 anos.
Paul Niles, gerente de programas de treinamento em Xangai,disse que o ambiente de aprendizagem estruturado no Centro de Treinamento técnico , não só ensina aos alunos os conhecimentos teóricos necessários para realizar o trabalho, mas inclui uma grande quantidade de treinamento prático . Niles disse ainda que os alunos aprendem muito também sobre como se comunicar em um ambiente de trabalho em equipe que é fundamental para as tarefas de manutenção de aeronaves.
Como se nota nessa matéria, a Boeing está um passo a frente na questão de formação de mecânicos. A preocupação com a perspectiva de um volume grande de vendas de aeronaves para a China faz com que estratégias de mercado sejam lançadas com bastante antecedência . Como a América do Sul tem ainda muitas aeronaves Boeing em operação, mas as novas aquisições para o futuro em nosso continente tendem a ser como opções a Airbus e Embraer , estes poderiam traçar estratégias semelhantes para a formação de mecânicos por aqui.
Fonte : Training & Flight Services FLIGHT PLAN october 2009

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Réplica do Demoiselle na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Rio de Janeiro

Na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia que será realizada no Rio de Janeiro entre os dias 19 e 25 de outubro, a réplica do avião demoiselle, projetado por Santos Dumont,será uma das atrações que comporá o evento. O evento ocorrerá no Armazém Científico , na Rua barão de Tefé, 75, na Saúde e no Centro Esportivo Miécimo da Silva em Campo Grande, zona Oeste da Cidade.

Melhores informações no site http://semanact.mct.gov.br/

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Notícias de Portugal


A Ryanair é uma companhia aérea de baixo custo (low cost) com base em Dublin , Irlanda, no entanto efetua a maioria das suas operações a partir do Reino Unido, nomeadamente a partir da sua principal base (hub), Londres Stansted. É atualmente uma das maiores companhias aéreas da Europa no setor low cost e também uma das companhias que mais polémicas gerou nos últimos anos. Atualmente opera 362 rotas em 22 países.
O presidente da Ryanair afirmou ontem que a companhia quer aumentar de um para cinco milhões os passageiros processados no Aeroporto do Porto até 2012 e pretende abrir uma base em Faro até 2011.

http://www.paispositivo.org

Novo Pólo de Capacitação Aeronáutica

A ANAC divulgou hoje para a imprensa que o Estado de São Paulo irá ganhar um Polo de Capacitação Aeronáutica, com a união de instituições públicas e privadas para a cooperação técnico-cientítfica e a formação de pessoal para a indústria aeronáutica – especialmente engenheiros e mecânicos. Na próxima quarta-feira ( 16/09) será assiando o Protocolo de Intenções do novo Polo , em São José dos Campos (SP), no auditório principal do Parque Tecnológico, que fica no Km 138 da Rodovia Presidente Dutra, às 12h. Um dos objetivos do novo Polo é o desenvolvimento de políticas públicas por meio de projetos e atividades voltadas para o treinamento de recursos humanos, além do desenvolvimento e difusão de tecnologia, planejamento e desenvolvimento da aviação civil. O Protocolo de Intenções será firmado pelo Diretor de Aeronavegabilidade e Operações da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Cláudio Passos Simão; pelo Secretário Estadual de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; pelo Prefeito de São José dos Campos, Eduardo Pedrosa Cury; e ainda pelo representante da Associação das Indústrias Aeroespaciais Brasileiras (AIAB) Walter Bartels e pela Diretora Superintendente do CEETEPS, Laura Laganá. Esse é o terceiro projeto do gênero desenvolvido pela ANAC, com apoio dos governos estaduais. O primeiro, no Rio Grande do Sul, em 2008, permitiu a formação de 130 jovens, entre homens e mulheres, com bolsas de 75% dos custos nos aeroclubes gaúchos. No segundo, em Minas Gerais, o governo estadual disponibilizou 300 bolsas de estudos e ainda cedeu um terreno para a construção de um Núcleo Comum de Laboratórios que poderá ser usado por todos os alunos de mecânica de manutenção aeronáutica das escolas que fazem parte do Polo. Além disso, as escolas que integram o projeto apresentaram para ANAC um novo modelo de matriz curricular, que está sendo analisado pela Agência. O Polo de Capacitação Aeronáutica de São Paulo é uma iniciativa da ANAC para incentivar o surgimento de novos profissionais, já que esse é um mercado que está em forte crescimento. O objetivo é começar a preparar os profissionais para suportar as demandas futuras da indústria do setor, que tem em São José dos Campos um dos maiores fabricantes de aeronaves do mundo, a Embraer.

domingo, 13 de setembro de 2009

XIV Bienal do Livro no Rio de Janeiro

Acabei de chegar da Bienal do livro 2009 que está sendo realizada aqui no Rio de Janeiro, no Riocentro ( Centro de convenções), e que mais uma vez surpreende pelo comparecimento de milhares de visitantes. Isso demonstra que as pessoas ainda apreciam uma boa leitura e gostam de livros. Claro que esse número ainda é pequeno em se tratando de Brasil, mas o que me deixou muito feliz foi ver muitas crianças curtindo com os pais um dia de domingo em meio a milhares de livros.
Levei meus filhos e minha esposa, que é a principal incentivadora da leitura infantil dentro de casa, e passamos um dia muito bom culturalmente falando. Só não fiquei 100% feliz, pois não encontrei estandes com literatura sobre a aviação . Aliás, este é um tema a ser debatido em nosso país, as publicações que existem sobre o meio aeronáutico estão pulverizadas em lançamentos que não atingem o grande público brasileiro e, em um evento como a bienal , deveríamos ter algo sobre a aviação para mostrar aos visitantes . Para o público infantil então nem se fala. Falta incentivo às crianças para essa atividade tão sonhadora quanto o universo infantil que é o sonho de voar.
Mas o importante é que o gosto pela leitura em geral continua a ser disseminado e isso nos dá uma esperança em um futuro melhor para todos nós.
Quem ainda não foi a XIV Bienal poderá fazê-lo até o dia 20/09. Vale a pena conferir e levar as crianças para saborearem os lançamentos infantis.

sábado, 12 de setembro de 2009

Estratégia no céu brasileiro : política, economia ou marketing?

Estou a bordo do voo da GOL 1952 com destino a Porto Alegre em mais um dia de trabalho . Estou indo me reunir com a equipe de treinamento de manutenção que está na capital gaúcha.
Acordei como sempre às 04:30h e peguei este voo às 08 hs no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro - Galeão. Como cheguei ao aeroporto com bastante antecedência , aproveitei para ler alguns jornais e me apeguei às notícias sobre o acordo entre Brasil e França, referente a compra de aeronaves militares, que ao longo da semana invadiram a mídia nacional e internacional. Ao que parece vários países andam às voltas e preocupados com a corrida armamentística .
Nasci na década de 70 e, ainda na minha infância, presenciei a tão famosa guerra fria entre as potências mundiais da época - Estados Unidos e a extinta União Soviética -e hoje me deparo com estas notícias de jornal que me fazem voltar no tempo. Não sei se esses acordos militares são somente de interesses estratégicos/políticos ou políticos/econômicos , mas o que vejo são idéias antigas voltando a tona no cenário mundial por meio de outros atores. Junto com a divulgação do governo brasileiro, sobre a compra de aeronaves caça franceses , li também uma notícia sobre o acordo de compra de 500 carros de combate à Russia pela Venezuela, isto em um momento que as relações entre a Venezuela e Colômbia não são das melhores.Por sua vez a Colômbia faz acordos com os Estados Unidos para instalações de bases militares em seu território e o Brasil anuncia que possui uma imensa reserva de petróleo ( Pré-sal) que ainda não a consegue explorar. Parece que a América do Sul entrará de vez no cenário mundial como uma das regiões mais importantes do planeta.
Bem, mas vendo o mundo aqui do alto pela janela de um boeing 737-800 tudo parece tão calmo lá em baixo...
Voltando ao que interessa , a compra de aeronaves francesas com transferência de tecnologia para o Brasil, parece ser bem interessante. Tirando as questões políticas que a envolvem , vejo com bons olhos essa transação. A Embraer já anunciou o projeto de uma nova aeronave militar que substitui os famosos Hércules C-130 e a França já se interessou em adquirir 30 unidades desse tipo. A balança comercial entre os dois países ficaria equilibrada, o que seria importante economicamente para as duas nações.
Com toda essa especulação política em torno deste fato não podemos tirar conclusões precipitadas, mas a viabilidade para que se fortaleça o nosso mercado de aviação passa por estratégias dessa magnitude. O Brasil precisa pensar em desenvolvimento tecnológico cada vez mais amplo para que nossa industria possa crescer e conquistar o mercado internacional .
Vamos aguardar os desdobramentos das próximas semanas em torno deste assunto para termos uma visão mais clara do que representará efetivamente a aquisição dessas aeronaves para o país.

Foto: último segundo



segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Boa literatura no ar


Estou lendo um ótimo livro que fala, entre outras coisas, sobre segurança dos voos no Brasil e sobre as pessoas que por ela são responsáveis. Esta obra tem o nome de " Na cabine de comando" e fala também de curiosidades aéreas, acidentes, a crise , o caos aéreo e a perspectiva de futuro para a aviação.


Este livro é de autoria do Comandante Márcio Branco , que é piloto de B737-700/800 e de Airbus A320.Na primeira parte do livro Márcio relata algumas curiosidades sobre como o avião voa e descreve de maneira simplificada alguns termos utilizados no meio aeronáutico. Para aqueles envolvidos com a segurança de voo, há também o relato de vários acidentes aereos considerados importantes na aviação civil. São histórias que relatam momentos de tensão que ele nos passa como se tivesse vivido aquele ambiente em que se encontravam os tripulantes no momento do ocorrido.
Para minha surpresa, começam a aparecer trabalhos muito interessantes e de valor na literatura brasileira voltados para a aviação. Isso só vem contribuir para o enobrecimento de nossa atividade e para o fortalecimento de novas idéias . Recomendo a leitura deste livro a todos aqueles que prezam pelos conhecimentos da aviação não só no aspecto técnico , mas na conjuntura política e econômica de nosso setor.
Parabéns pela obra Comandante Marcio Branco.

EMBRAER, 40 anos de muito sucesso


O Brasil nos ultimos meses vem sendo bombardeado com boas notícias sobre reservas de energia, especificamente se falando de petróleo, sendo noticiado a todo momento nos mais diversos meios de comunicação, as reservas do Pré-sal. O presidente Lula aparece sempre fazendo um discurso otimista e, até certo ponto, "populista", divulgando que as reservas do Pré-sal garantirão ao país a condição de subsidiar as gerações futuras em educação, saúde e transporte, além de dar condições de sustentabilidade econômica da nação. Desde então não se fala em outro assunto e, na minha opinião, fala-se muito de algo que ainda caminha entre suposições, pois não temos ainda as condições necessárias para usufruir dessas reservas, ou seja,ainda nos falta muito em recursos tecnológicos para que se possa prospectar todo esse petróleo que se encontra abaixo dessa extensa e densa camada de sal. Talvez se o país ao longo dos anos tivesse se voltado para uma política de incentivo ao desenvolvimento tecnológico, hoje estaríamos muito mais convictos de que o Pré-sal seria totalmente nosso.

Mas, prefiro falar de coisas que são realidades consolidadas e que nos fazem ter orgulho de sermos brasileiros. Uma dessas "coisas" é a nossa industria aeronáutica que tem crescido nos últimos anos de forma consistente. A EMBRAER é um exemplo disso e se traduz em números que não deixam dúvidas sobre a potência que possui para o crescimento sustentável.

A EMBRAER mesmo depois de ter demitido 4500 funcionários no início de 2009, ainda permanece com um quadro funcional considerável que alcança o número de 17.234 empregados, tem pedidos firmes em carteira na ordem de US$ 19, 8 bilhões , teve uma receita líquida no primeiro semestre deste ano de R$ 3.019 milhões ( abaixo do ano de 2008) e lucro líquido de R$ 467 milhões.Em relação ao ano anterior a empresa teve uma retração na receita , mas nada que comprometa o futuro em relação a produção de aeronaves.

A empresa possui unidades espalhadas pelo mundo em países como os E.U.A, Portugal, França, Cingapura e China. Seu quadro funcional tem uma formação educacional que faz com que observemos um diferencial no mercado brasileiro onde cerca de 69% possuem o 2ºgrau ( Nível médio), 25% nível universitário, 4% pós-graduação e 2% doutorado.Seus engenheiros e técnicos recebem treinamento rotineiramente e estão entre os mais requisitados do mercado aeronáutico pelo mundo a fora.

Só a família das aeronaves Embraer 170/190 possui 882 pedidos firmes e já foram entregues 554 unidades. Empresas brasileiras como a AZUL e a TRIP já possuem esses tipos de aeronaves em suas frotas e outras internacionais comoa Britsh Airways, LOT, Copa Airlines, Continental , e etc.

Uma empresa que completa 40 anos em 2009 e que nos últimos anos vem ganhando as manchetes nos veículos de comunicação Internacionais merece ao menos uma atenção especial por parte do governo e de nosso povo. A Embraer mais que uma industria representa uma nação e é um "símbolo" que deve ser preservado. Por isso, gostaria de ver nosso presidente exaltando também não só a perspectiva de futuro em relação ao Pré-sal, mas fomentar a nossa industria aeronáutica que tem representado muito bem o Brasil no cenário internacional.

Parabéns EMBRAER pelos seus 40 magníficos anos de bons frutos e desejo que assim permaneça por pelo menos mais 40 anos.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Qualificação profissional na aviação, dever ou obrigação?

A qualificação profissional na aviação civil se torna a cada dia mais necessária e obrigatória. As novas tecnologias aliadas às novas regras de segurança estabelecidas pelas autoridades e pela necessidade de atualização às inovações nos serviços aéreos fazem com que o elemento humano se enquadre nesse novo perfil. Hoje a informação está disponível para todos , mas nem todos conseguem assimilar ou disponibilizar tempo para o aprendizado. Grandes companhias neste setor já aderiram ao ensino a distância que é sem dúvida uma ferramenta facilitadora para a dissiminação do conhecimento, mas que merece uma análise mais detalhada por parte dos especialistas em treinamento afim de se saber a eficácia deste novo fenômeno da aprendizagem. O aprendizado técnico ainda engatinha por essa área, pois depende não só da parte teórica, mas também do desenvolvimento das habilidades necessárias ao desempenho de várias funções, coisa que o ensino à distância simplesmente ainda não consegue proporcionar em sua plenituide. De qualquer forma , o conhecimento teórico fica muito mais fácil de ser dissiminado deste jeito. O bom profissional de hoje não deve se contentar só com o que aprende na sala de aula, mas sim buscar informações complementares em qualquer meio de fácil acesso como a internet, revistas, jornais, televisão, rádio e etc.
O saber não ocupa espaço, já diziam os mais antigos e , isto é pura verdade. O que se aprende fica retido em nós e ninguém nos tira e isso se torna o maior patrimônio que podemos adquirir na vida. O profissional de aviação que busca o aprendizado constante irá ter um patrimônio imensurável e de grande valor por toda a sua caminhada profissional.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Impactos ambientais das atividades de aviação


A preocupação com o meio ambiente tem sido uma tônica nos assuntos atuais relacionados a aviação, principalmente no que diz respeito a emissão de poluentes na atmosfera através das aeronaves. Mas não se trata somente de emissão de gases poluentes, a questão ambiental é muito mais abrangente e carece de políticas e estudos eficazes diversificados sobre os impactos ambientais dessa atividade.
Dentre alguns dos problemas que devem ser estudados, analisados e compreendidos para que se possa adotar as medidas corretas para a prevenção do meio ambiente podemos citar os seguintes:

a) Ruído de aeronaves;
b)Qualidade do ar no entorno dos aeroportos;
c)Problemas ambientais globais decorrentes do uso do aeroporto;
d)Problemas ambientais decorrentes de acidentes/ incidentes com aeronaves envolvendo mercadorias perigosas e procedimentos de emergência.

Desde a década de 80 que há uma preocupação com a substituição de aeronaves ruidosas por aeronaves mais silenciosas. No entanto, o aumento do trafego de aeronaves nos aeroportos vem trazendo, em uma curva crescente, o problema do ruído e , em alguns casos, esse tem sido um dos motivos que impedem a expansão da capacidade operacional dos aeroportos. As autoridades brasileiras e mundiais estão preocupadas, devido a imposição internacional de regras para a preservação do meio ambiente e, o tratado de Kyoto,neste aspecto, tem contribuído para a aceleração de programas de preservação ambiental na aviação.
Outros aspectos como a qualidade do ar no entorno dos aeroportos, que é afetada pelas emissões dos motores das aeronaves, emissões dos veículos motores do aeroporto e pelo tráfego de acesso, emissões de outras fontes (ex:centrais de aquecimento/energia e incineradores) e a disposição dos materiais ambientalmente perigosos usados nos reparos e manutenção de aeronaves como óleos, líquidos para a limpeza e tintas, resíduos do aeroporto e das aeronaves que chegam, devem ser geridos com eficiência.

O maior problema para atender às exigências legais é que a maioria dos aeroportos já construídos não atendem as legislações atuais sobre proteção ambiental e qualquer modificação efetuada nas atuais instalações aeroportuárias para atendê-las torna-se muito onerosa. O ideal seria que novos aeroportos fossem construídos dentro das diretrizes e padrões de qualidade ambiental e aos poucos substituíssem os atuais aeroportos, mas isto seria um projeto para muitos anos e depende de vontade política, além de disponibilidade econômica para investimento e concretização das obras.
Foto: Aeroporto internacional do Rio de Janeiro-Galeão


segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Novidade no mercado de carga aérea no sul do Brasil

Já está em operação a primeira empresa de transporte aéreo de cargas com base em Curitiba. A Rio Linhas Aéreas e a Smart Cargo fizeram uma parceria para atuar no segmento de logística e distribuição de cargas, com foco inicial no mercado nacional. A nova empresa vem proporcionar mais agilidade ao escoamento da produção, a exportação e a importação das empresas de alta tecnologia do parque industrial local, que fornecem produtos de alto valor agregado, com baixo peso e volume. O estado do Paraná tem um grande potencial para a atividade de carga aérea e a cidade de Curitiba, é o 5º maior pólo cargueiro internacional do país e ocupa apenas o 10º posto no mercado doméstico. A Região sul do país está se tornando um grande pólo industrial e muitas empresas estão em fase de alocação de suas instalações nessa área. A falta de opção para o escoamento dos produtos manufaturados criou uma grande dificuldade logística do empresariado local, que começa a ser resolvida, com a atividade aérea cargueira.
A Rio Linhas Aéreas está operando com aeronaves B727 e em breve estará também operando com DC-10-30F.
Mesmo durante a crise econômica mundial o mercado de aviação no Brasil demonstrou ter um bom potêncial oportunizando o surgimento de novas empresas nesse ramo.

Melhores informações sobre a nova companhia poderão ser obtidas acessando o site http://www.voerio.com/br/

sábado, 22 de agosto de 2009

Ampliação de capital estrangeiro nas companhias aéreas

No último mês de julho, o Conselho Nacional de Aviação Civil (CONAC) aprovou em reunião a ampliação de capital estrangeiro nas empresas aéreas para 49%. Pelas regras de hoje contidas no Código Brasileiro de Aeronáutica ( CBaer) , essa capital está limitado a 20% o que dificulta investimentos do exterior em nossa aviação.

Para o ministro da Defesa, Nelson Jobim, a decisão pode fortalecer a "musculatura" das empresas nacionais.

O texto aprovado refere-se a um projeto de lei encaminhado à Casa Civil e que também prevê a mudança do regime de concessão para um sistema de autorização de funcionamento das companhias. Se aprovado pela Casa Civil, o projeto será encaminhado ao Congresso Nacional.

É um assunto polêmico, pois aumentar a participação do capital estrangeiro em companhias aéreas já existentes é uma situação que pode-se até controlar, mas ao se permitir isto, estaremos permitindo também que outras novas empresas surjam no país e, com maior poder econômico oriundo da participação de estrangeiros poderá ocorrer uma quebradeira das atuais companhias aéreas. Não conheço bem a integralidade do conteúdo dessa proposta, no entanto, é preciso que tenhamos mecanismos que protejam as empresas nacionais , pois a concorrência seria desleal com as novas companhias aéreas que por ventura surgirão.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Privatização dos aeroportos brasileiros: concessão ou autorização?

Na última quinta-feira, 13/08, o ministro da defesa Nelson Jobim, garantiu que o governo brasileiro não irá adotar o modelo de autorização para a privatização dos aeroportos no país. Este modelo havia sido sugerido pela ANAC ( Agência Nacional de Aviação Civil) para acelerar o processo de privatização dos aeroportos em especial o Antonio Carlos Jobim ( Galeão) no Rio de Janeiro e o novo terminal internacional de São Paulo.
Pela Proposta da ANAC as empresas aéreas poderão ter participação de 20% e, por enquanto , a TAM é a única empresa aérea que já manifestou interesse nesse assunto.
A participação de empresas aéreas na exploração de aeroportos já é uma prática comum nos Estados Unidos da América e por lá parece funcionar muito bem.
Para o Governo, o sistema de autorização não deverá atrair muitos interessados já que desta forma o investimento correrá um maior risco, nessa modalidade a autorização poderá ser cassada a qualquer momento sem garantias para o investidor.
A proposta de privatização dos aeroportos brasileiros em elaboração pela ANAC, deverá prever para cada terminal ,um contrato específico de concessão, independente do processo a ser escolhido, de licitação individual ou por blocos - neste último ,quem levar um aeroporto rentável ficaria também com outros menos lucrativos.
De qualquer forma, este assunto é de suma importância para o futuro da aviação comercial brasileira e deverá gerar grandes debates em diversas áreas do setor aéreo. A ANAC terá a responsabilidade de promover uma política de privatização dentro da realidade de nosso país para poder garantir a exploração dos aeroportos, mas sem perder a qualidade dos serviços e sem deixar de lado as prerrogativas que lhe competem de ser um órgão fiscalizador do setor.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Aviação Agrícola brasileira


Já se vão 62 anos desde o início da aviação agrícola no Brasil que teve origem graças a uma praga de gafanhotos que assolava a região sul do país, mais precisamente em Pelotas (RS). Isto foi a motivação para que o engenheiro agrônomo Leôncio Fontelles juntamente com o piloto Clóvis Candiota realizassem a primeira pulverização aérea no país em 1947.

De lá para cá muita coisa mudou e hoje a aviação agrícola é um serviço especializado e regulamentado pelo Ministério da Agricultura e do Abastecimento e também pela Agência Nacional de Aviação civil ( ANAC).

A aviação agrícola trouxe uma série de vantagens para o campo dentre elas a facilidade para o plantio em grandes áreas em tempo reduzido como também a pulverização de produtos para combater o ataque de prováveis pragas.

Os últimos dados técnicos sobre a aviação agrícola no Brasil datam de 2007 onde apontava uma frota de 1300 aeronaves em operação nesta atividade . Esta atividade ainda é pouco difundida nos meios de comunicação aqui em nosso país e talvez por isso este setor da aviação civil ainda não tenha progredido mais.

No próximo dia 19 de agosto é considerado o dia da aviação agrícola e por tanto gostaria de parabenizar a todos os profissionais que fazem parte deste seleto grupo e que ajudam no progresso de nossa nação.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Empresa Portuguesa procura parceria no Brasil


A empresa portuguesa especializada em limpeza de aeronaves ( interior e exterior) e fornecimento de diversos produtos está a procura de um parceiro comercial para atuar no mercado brasileiro.

A empresa que conta em sua carteira de clientes com empresas como a TAP, Euroatlantic e White, dentre outras, e com grupos hoteleiros de 5 estrelas deseja ampliar suas operações .
A empresa ASCS estuda também novas parcerias na Espanha,Angola e Emirados Árabes.

A vontade de abrir a ASCS Brasil vem desde o primeiro momento como afirmou o CEO da empresa, Dr.Manuel Castanho: “ A ASCS pretende até ao final do ano criar parcerias que permitam a sua abertura em países como o Brasil, Espanha, Emirados entre outros. O Brasil é desde o primeiro momento o país de eleição, trata-se de um país com uma história no que respeita a aviação. É também a casa do terceiro maior fabricante do mundo de aeronaves, a Embraer, empresa de referência e que apostou recentemente no mercado português. O Brasil é um país amigo, que nos merece o maior respeito e que espero em breve seja uma das maiores potências mundiais. Quando olho para o Brasil vejo um país com um futuro muito promissor, onde a aeronáutica como área do nosso interesse é das mais saudáveis do mundo. Comporta companhias que são verdadeiras referências no mercado como seja a GOL, TAM e mais recentemente a Azul.”Manuel Castanho afirmou também que pretende criar boas condições de trabalho para os seus colaboradores na ASCS Brasil, apostando sobretudo na formação constante de pessoas de baixo nível escolar e criando novas valências para essas pessoas.“ Uma das nossas apostas será na formação, queremos criar condições para os nossos colaboradores poderem adquirir outros conhecimentos e valências que lhes permitam evoluir na sua vida profissional. As empresas são feitas por pessoas e o bem-estar dessas pessoas é muito importante para nós.”

Melhores informações sobre a empresa acessem o site http://www.ascs.pt/
Vejo como uma boa chance para os empresários da aviação civil estabelecerem uma parceria com esta empresa. O nosso mercado de aviação é promissor e agregar valor com uma empresa que já possui um Know how dessa magnitude é sem sombra de dúvida um bom negócio.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Demissões na Embraer ainda causam polêmica


Um grupo de 46 trabalhadores demitidos no início deste ano pela empresa brasileira e alguns dirigentes sindicais sairam ontem (09/08) de São josé dos Campos(sede da Embraer) com destino a Brasília ( Capital Federal) para acompanhar o julgamento da demissão em massa (4300) feita pela empresa no início deste ano. O Julgamento será realizado pela Seção Especializada em Dissídios Coletivos do Tribunal Superior do Trabalho.

Para os metalúrgicos , este julgamento tem um grande significado para toda a classe trabalhadora, disse o presidente do Sindicato dos metalurgicos de São José dos Campos, Vivaldo Moreira Araújo. É o momento em que está sendo colocado em discussão a necessidade de se estabelecer regras mais rígidas para coibir demissões imotivadas, considerando o impacto social negativo no país.

Segundo o presidente do sindicato, os balanços divulgados após as demissões confirmam que a medida foi prematura. O balanço apresentado há duas semanas pela Embraer apontou um lucro de R$ 466 milhões durante o segundo trimestre deste ano, que foi maior 31% em relação ao mesmo período do ano de 2008.


Esta situação é mesmo polêmica, pois se a Empresa continua obtendo lucros consideráveis será que haveria a necessidade de demitir tantos trabalhadores?

Na semana passada executivos da empresa anunciaram em Lisboa, Portugal, que a Embraer tem a intenção de investir 148 milhões de Euros nesse país em instalações industriais na cidade de Évora. Como Brasileiro fico feliz por saber que uma empresa nacional tem horizontes a seguir , mas fico preocupado com o mercado interno,pois precisamos gerar empregos também em nosso território e não cortar postos de trabalho. Aliás, nos ultimos anos , para os admistradores, ficou muito fácil gerar lucro imediato nas empresas, cortar custos já ficou conhecido e instituido como necessidade de demitir funcionários. Creio que a demissão deveria ser o último recurso e não o primeiro. Entendo também que com o avanço tecnológico é natural que alguns dos postos de trabalho sejam substituídos por máquinas e, nesse caso, não se tem muito a fazer a não ser substituir o homem pela máquina, mas o governo tem que estar atento para criar uma estrutura no mercado de trabalho que permita aproveitar em outras áreas, que ainda não detém tanta tecnologia, a mão de obra demitida . É sem dúvida uma equação não tão fácil de resolver, mas os administradores do país estão sendo pagos para pensar pelo bem da população.

Uma ação em conjunto entre administradores de empresas e governo poderia ser um caminho para se obter bons estudos sobre qual a real necessidade de demissões em empresas estratégicas para o país.
Foto:Vista áerea das instalações da Embraer em S.J. dos Campos (http://aviaorevue.terra.com.br

sábado, 8 de agosto de 2009

TCAS II -Traffic Alert and Collision Avoidance System


O que é o TCAS ?

Esta sigla significa Traffic Alert and Collision Avoidance System , ou seja, é um dispositivo instalado a bordo das aeronaves para evitar a colisão durante o vôo com outra aeronave .
O TCAS monitora o espaçoa aéreo em torno da aeronave em um raio de 40 milhas náuticas, emitindo avisos visuais e sonoros em caso de perigo de colisão e, o piloto, terá que tomar a ação recomendada por este equipamento para evitar o acidente. Quando uma aeronave entra no raio de ação do TCAS ele começa a monitorá-la enviando sinais eletrônicos de interrogação e baseado no tempo de resposta desse sinal ele emite as informações necessárias para que o piloto possa tomar as devidas ações. Como o sistema trabalha com as velocidades ( aproximação e afastamento), os avisos visuais e sonoros são emitidos em função de tempo para um provável conflito entre as aeronaves ( veja o ilustração acima). A área de atuação do TCAS se divide da seguinte forma : Caution Area ( de 35-45 segundos para um conflito) , Warning Area ( 20-30 segundos para um conflito) e Collision Area ( onde não há tempo para resposta e ação do piloto). Se uma aeronave entrar no espaço aéreo de outra equipada com TCAS e, esta estiver a cerca de 40 segundos para estar em conflito com essa aeronave, o TCAS irá emitir um aviso sonoro e visual chamado de Traffic Alert somente informando ao piloto que há uma aeronave intrusa próximo a ela e, o piloto, irá ver em um display, um símbolo de cor laranja e ouvirá uma mensagem de "Traffic, Traffic". Neste momento o piloto somente irá monitorar a situação e não fará nenhuma manobra com sua aeronave ainda. Se essa aeronave se aproximar e estiver a cerca de 30 segundos essa mensagem irá se alterar para um símbolo de cor vermelha com uma mensagem chamada de Resolution Advisory ordenando ao piloto qual a manobra que ele terá que fazer ( Climb -Subir ou Descend -Descer) . O piloto deverá obedecer a esses avisos sonoros para que a colisão não ocorra. Se as duas aeronaves em questão estiverem equipadas com o TCAS II , haverá uma manobra coordenada onde o TCAS de uma emitirá a mensagem para subir e o da outra a mensagem para descer evitando assim a colisão. Hoje, a maioria das aeronaves de medio e grande porte utiliza esse equipamento a bordo. Para se voar no Brasil e em algumas outras regiões do mundo , se torna obrigatório que a aeronave possua esse equipamento instalado. O problema é que para que o TCAS tenha plena capacidade de evitar uma colisão se torna necessário que os Transponders ( equipamento de altimetria ) estejam ligados , caso contrário acontecerá o que aconteceu no acidente de 2007 nos céus do Brasil entre um Boeing 737 da GOL e um Legacy da Embraer quando o transponder do Legacy estava desligado tornando essa aeronave completamente "invisível" para o TCAS da aeronave da GOL.

Esta imagem é uma montagem para se ter a sensação em um ambiente de cabine de um conflito de aeronaves sem aplicação do TCAS.Claro que, além do TCAS, há o controle de tráego aéreo que irá auxiliar para evitar esses conflitos, mas este serviço não tem a precisão do TCAS.
Isto é uma explicação bem resumida do funcionamento do TCAS e para maiores informações , caso haja o interesse, entre em contato através do e-mail josefernandesinst@gmail.com

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Certificação FAA para A330 e A340 na TAP M & E Brasil

A TAP Manutenção e Engenharia Brasil S.A cada vez mais ratifica sua liderança na América do Sul no segmento de manutenção aeronáutica. A empresa recebeu esta semana da FAA (Federal Aviation Administration), autoridade aeronáutica dos Estados Unidos da América, a certificação para relizar serviços de manutenção em aeronaves Airbus A330 e A340.
A TAP M & E Brasil já é membro desde dezembro de 2008 da "Airbus MRO Network", que é uma rede de empresas credenciadas pela fabricante , para a manutenção em aeronaves produzidos por ela.
A empresa também já possui a certificação da FAA para outros modelos de fabricantes distintos como a Boeing, Douglas, Fokker, Embraer, etc Mais uma vez a empresa foi colocada à prova através de inspeção rigorosa nos padrões de segurança e operacionalidade por parte da autoridade aeronáutica e se saiu muito bem. A TAP M & E Brasil entrou definitivamente no mercado de manutenção da Airbus, disse seu Diretor -presidente Nestor Koch.
Este acontecimento é muito importante não só para a empresa, a Airbus, a TAP M & E Lisboa, mas também para o nosso país, pois este mercado de manutenção precisa se tornar cada vez mais forte no Brasil para que se possa gerar novos postos de trabalho e desenvolvimento tecnológico.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Nova fase da TAAG

Após estar poibida de voar para a Europa por quase dois anos, a TAAG, depois de passar por algumas reestruturações, inaugurou neste ultimo sábado, 01/08, o vôo para Lisboa.

A Aeronave que fez este vôo, um B777, decolou de Luanda ( Angola) às 22h 30, com 214 pessoas a bordo e pousou em Lisboa no início da manhã de domingo (02/08). Isto representa um marco para a TAAG e para os angolanos, pois é o ínicio de uma nova fase para a aviação de Angola que está se aprimorando para voltar a voar para outros destinos da Europa.

Para que a autorização de retorno a voar em céus europeus fosse concedida a TAAG comprometeu-se a aceitar que as autoridades aeronáuticas da Europa supervisionem a companhia e, neste aspecto, o INAC - Instituto Nacional de aviação Civil ( Portugal) passa a se responsabilizar por inspecionar e elaborar relatórios sobre as aeronaves e a própria companhia angolana para o Comitê de Segurança da Comunidade Européia.

Nós brasileiros também estamos fazendo parte desse processo de reestruturação junto a parte técnica da TAAG. Há algumas equipes de técnicos brasileiros ( manutenção e operações) auxiliando os técnicos angolanos nesse processo devido a experiência que possuimos nos equipamentos B777 e B737.

Foto :http://economico.sapo.pt/notícias

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Saguão de aeroporto


Olhando as pessoas no saguão de um aeroporto instantes que antecedem ao embarque, notamos que cada um transmite uma mensagem em suas fisionomias. Algumas pessoas estão sorridentes como se estivessem sentindo imensa felicidade jamais sentida antes. Outras estão tensas, preocupadas como se estivessem prestes a encontrar algo abominável. Outras choram abraçadas a amigos e parentes talvez querendo dizer que estão felizes , mas tristes ao mesmo tempo. São inúmeros os sentimentos que são gerados e transmitidos por essas pessoas. A única certeza que há é que aquelas pessoas estão sentindo forte emoções que antecedem um vôo e que elas irão experimentar as sensações que ele proporciona ao ser humano.

Algumas pessoas que estão ali naquele momento já são bastante experientes e parecem nem estar ligando para as outras pessoas ao seu redor, já voaram muitas milhas e não demonstram sentir nenhuma sensação, mas é só aparência, pois no fundo no fundo, a cada vôo, há uma emoção diferente.

Há aqueles que estão ali pela primeira vez e que sentem medo,alegria, desconfiança, mas que desejam sentir a magia de voar. Tem aqueles também que já voaram outras vezes, mas que sempre se deleitam com o fascínio de poder estar voando mais uma vez. Na verdade a mística está em todo saguão de aeroporto todos os dias.

Do outro lado do portão de embarque está o elemento que causa todas essas sensações que é chamado de avião. Aquela máquina poderosa que faz aquilo que o homem sozinho não consegue fazer e sempre sonhou em fazer que é voar. Desafiando as leis da física o avião parece algo imponente. Como um objeto mais pesado do que o ar consegue voar com segurança? Esta é a pergunta feita constatemente por aqueles que ainda não conhecem o funcionamento de uma aeronave. Imagimem , toneladas se locomovendo pelo ar, é uma loucura ! Mas o homem com seu vasto conhecimento científico e com sua vocação para a intuição, conseguiu desenvolver uma máquina que voa e va com segurança . Apesar de todos os especialistas afirmarem que o avião é o meio de transporte mais seguro que existe,não dá para negar que as dúvidas sempre permanecerão na cabeça de muitos. Será que se não existissem essas incertezas o vôo seria tão fascinante como é ? Tem que haver aquela "pontinha de medo"que faz parte de quando enfrentamos desafios, pois é próprio do homem a adrenalina em situações desafiadoras.

Voltando a falar daqueles que estão no saguão do aeroporto eu me pergunto: porque a vida passa como um filme na cabeça das pessoa naquele momento? Será que é por causa das incertezas que envolvem aquela esfera do vôo? Será que é pelo medo de desafios?Será que é porque não acreditamos que chegaremos ao final da viagem ?Será que é porque estaremos mais "próximos" de Deus que está no "céu". Não consigo afirmar o que seja, mas digo que é muito interessante a espera no embarque em um aeroporto, pois sempre aprenderemos algo para as nossas vidas , pois nossos pensamentos também voam.
Foto : Saguão do aeroporto d Atlanta E.U.A www.baixaki.com.br

segunda-feira, 27 de julho de 2009

TAP , a história continua.


Continuamos com a história da TAP e agora falaremos do período da década de 70 até os dias atuais.

1970- É fundada a Airbus Industries em Toulouse, França, numa tentativa , que seria bem sucedida, de contrariar a hegemonia da norte-americana Boeing. No início desta década a TAP recebe vários prêmios e inclui Boston à linha de N. Iorque.


1971-O tráfego aéreo mundial aumenta de tal maneira que há a necessidade de colocar em serviço aviões de grande porte,como o L 1011Tristar, o DC-10 e o Airbus A300B. Nesse ano a TAP transfere suas instalações para aeroporto de Lisboa e são inuguradas as oficins no Hangar 6. Inicia-se a linha de Montreal e as ligações entre Lisboa para Ponta Delgada e Terceira ( Açores).

1975- A TAP transforma-se em empresa pública pelo Decreto-Lei 205, de 1975, ano em que recebe o 1º dos oito aviões B727.

1979- É implemetado um programa de modernização da empresa,que altera também a sua designação para TAP Air Portugal. A Companhia inicia o serviço computadorizado de reservas de espaço para cargas ( CARGOMATIC).

1980- A TAP introduz uma nova imagem ( uniformes, logotipo e pintura de aviões) e prolonga a linha de Milão para Roma, abre a linha Lisboa- Barcelona e assin o 1º protocolo com a Ibéria.

1984- Pela 1ª vez a TAP transporta mais de 2 milhões de passageirosem um único ano.

1985- A empresa inugura seu museu e a linha Lisboa-Caracas.

1988- É introduzido na companhia um sistema automático de cálculo de tarifas e emissão de bilhetes, ano em que a empresa se torna a 1ª companhia aérea a estabelecer ligações terra-ar via satélite. É realizado também o primeiro curso de pilotos da TAP inteiramente em Portugal.

1989- Chegam os Airbus A310-300 e são encomendados os A340. Chegam igualmente os primeiros B737-300 e é instalado o simulador do B737 .

1990- Novo record de transporte de passageiros: A TAP transporta mais de 3 milhões.

1996- Sempre atenta à evolução tecnológica e às necessidades dos portugueses, que aderem em massa a internet, quase meio milhão já utilizavam regurlmente em 1997, a TAP cria seu website.

1998-A TAP torna-se membro fundador do Qualifyer Group, aumena sua malha para o Brasil, vê a Federal Aviation Administration (FAA-USA) renovar a certificação de sua unidade de Manuteção e Engenharia como Repair Station.

2001- As dificuldades financeiras da Swissair forçam-na a desistir da compra de 34% do capital da TAP. A sua unidade de Manutenção e Engenharia é certificada pelo DAC ( Brasil) e recertifcada pela FAA.

2003- A Airbus atribuiu à empresa dois prêmios: o de maior utilização mundial da frota A310 e de excelência operacional desta frota.

2005-Em 1º de Feveiro é aprestada a nova imagem que integra um novo logotipo, o quinto desde sua fundação em 1945. Em março passa a integrar a Star Alliance .

2006- Em Janeiro a TAP assume o controle da VEM ( Varig Manutenção e Engenharia), o maior centro de manutenção a américa do sul.

2007- A TAP é considerada a décima empresa aérea mais segura do mundo pela edição japonesa da NewsWeek. Em 11 de abril, a TAP passa a deter 90% do capital da VEM. Em junho , o presidente da empresa , Fernando Pinto, é nomeado presidente da IATA, em assembléia geral, em Vancouver.

2008/2009- A TAP cria a TAP Mautenção e Engenharia Brasil S.A com duas unidades , uma em Porto Alegre e outra no Rio de Janeiro , que juntamente com a TAP Manutenção e Engenharia Lisboa se tornou uma das maiores empresas de manutenção do mundo.

domingo, 26 de julho de 2009

Biocombustíveis na Aviação Civil



Em breve poderemos ter a mistura de biocombustíveis ao querosene de aviação ( QAV) visando a redução de emissão de gases poluentes. Segundo especialistas do setor , ainda é cedo para se dizer que os biocombustíveis poderão substituir totalmente o QAV como acontece com a gasolina nos automóveis, mas a mistura sem dúvida é o caminho mais curto para a redução de poluentes no setor de aviação.

Em novembro haverá uma conferência da ICAO na cidade do Rio de Janeiro com o objetivo de discutir medidas que serão apresentadas na conferência ambiental que acontecerá em dezembro na cidade de Compenhague, na Dinamarca.

Este tema deverá ser ainda muito abordado nos anos que se seguem, pois sem dúvida é um meio de reduzir a emissão de gases poluentes e preservar o meio ambiente. Na europa já existem regras rígidas para o setor de aviação nesse sentido. O Brasil com a tecnologia desenvolvida para biocombustíveis, se torna um representante importante no cenário mundial. A tecnologia desenvolvida para o álcool como combustível coloca o nosso país como uma potência nos estudos referentes a essa área. O progresso da humanidade não pode colocar em risco o meio ambiente e todas as áreas tecnológicas deverão se esforçar para conseguir novas maneiras de se obter energia sem causar danos ao planeta.

Na Feira Nacional de Aviação Civil , que está ocorrendo no Rio de Janeiro, tem a exposição do 1º avião movido a álcool que é um modelo Ipanema construido pela Embraer ( Veja foto acima).

sexta-feira, 24 de julho de 2009

História da TAP Portugal

A TAP é uma empresa portuguesa que se tornou forte no cenário mundial da aviação civil e aos poucos vem se fortalecendo no mercado brasileiro. Hoje é uma das empresas estrangeiras com maior frequência de vôos diários para vários pontos do Brasil e, já possui uma unidade e negócio na área de manutenção aeronáutica aqui o país. Recentemente adquiriu a VEM , empresa criada pela VARIG para a realização de manutenção em aeronaves. Hoje essa empresa de manutenção é a maior da américa do sul e junto com a TAP M & E de Lisboa se tornou uma das maiores do mundo.

A partir de hoje contaremos um pouco da história dessa empresa que, para nós brasileiros,ainda não nos é tão familiar, mas que sem dúvida trás um história de sucesso.

A TAP foi ciada em 14 de março de 1945 pelo Diretor do Secretariado da Aeronáutica Civil de Portugal, Humberto Delgado. Nessa data foi fundada a seção de transportes aéreos sob designação de Transportes Aéreos Portugueses. Ainda nesse ano a TAP adquire os seus primeiros aviões DC-3 Dakota com 21 lugares e admite a pioneira das comissárias de vôo, Maria de Lurdes Martins Owen.

1946- É inaugurado aos 19 dias de setembro a linha Lisboa-Madrid. Em 31 dedezembro é inaugurada a "Linha Imperial" (Lisboa-Luanda-Lourenço Marques) com 12 escalas e 15 dias de duração ( ida e volta). Com 24540 km, é a mais extensa linha a nível mundial operada com um DC-3.

1953- A TAP passa de serviço público a sociedade anônima de responsabilidade limitada, com capitais mistos, mas com a maioria do Estado Português.

1955- Chega`a TAP o quadrimotor de longo alcance, o Lockheed 1049 Super Constellation, que começa a operar a linha para a África. Nesse mesmo ano, com um DC 4, realiza uma viagem experimental ao Rio de Janeiro.

1958- O último dos oito Dc-3 Dakota é retirado de serviço e a TAP inicia estudos para transição com operações de aviões a jato, que seria uma realidade na década de 60.

1960- A TAP inaugura o " Vôo da Amizade"entre Lisboa e Rio de Janeiro, destinado a portugueses e brasileiros com tarifas a menos da metade do preço normal da época para essa rota. Nessa década a TAP continua a crescer e inaugura novas linhas como : Frankfurt-1963,Genebra-1965 , Faro-1965.

1964-É inaugurado o aeroporto de Santa Catarina, no Funchal-Ilha da Madeira e a TAP inicia a operação regular Lisboa-Sal-Bissau e inaugura também a linha Lisboa-Funchal. Nesse ano a TAP atinge 1 milhão de passageiros transportados desde o início de sua operação.

A História continua na próxima edição.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Feira de Aviação Civil no Rio de Janeiro



A Feira Nacional de Aviação Civil que será realizada nos próximos dias 24,25 e 26 de julho, no aeroporto Santos Dumont, Rio de Janeiro, promete ser um evento que marcará uma nova era da aviação no nosso estado. Teremos a participação das maiores companhias aéreas brasileiras e de muitas outras empresas que atuam nessa área em nosso país. Será um momento muito importante para a divulgação dos trabalhos que estão sendo feitos pelas autoridades e pelas empresas de aviação para a melhoria contínua e o desenvolvimento desta atividade. Também será uma boa oportunidade para aqueles que curtem a aviação , mas que não tem muito contato com este meio, estarem ao lado das maravilhosas máquinas voadoras.

O dia 24 é reservado a abertura do evento com os convidados e os dias 25 e 26 serão abertos ao público.

Não deixem de comparecer a este evento, pois somente participando é que poderemos fazer com que outros grandes eventos venham para cá. Nossa cidade merece.

Detalhes da programação poderão ser obtidos acessando o site :

www.feiradeaviacaocivil.com.br

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Quem trabalha para um Vôo seguro ?

Ao embarcar em uma aeronave, que está estacionada no “gate “ de um aeroporto, muitas pessoas pisam aquele “santuário” pela primeira vez e se emocionam. Algumas sentem um friozinho na barriga e uma série de incertezas tais como : “Será que isto aqui é seguro?” “Como pode uma coisa dessas voar?” “ Meus Deus! Será que o piloto é um cara tranqüilo?” E quase sempre as dúvidas as acompanham por todo o Vôo e só são respondidas, em parte, quando se alcança o destino em outro aeroporto. Nós humanos gostamos de desafios e mesmo que tenhamos medo de voar queremos um dia sentir esse prazer. Nem todas as pessoas vencem esse medo e nem todas conseguirão voar um dia, já que voar, apesar de tantas promoções de passagens no mercado hoje em dia , ainda não é para todos. Mas uma coisa é certa: em 90% das vezes ou dos passageiros que embarcam em uma aeronave a lembrança em um profissional da manutenção aeronáutica não vem em primeiro lugar. Sempre o que vem a cabeça das pessoas é a segurança relacionada ao vôo com o piloto da aeronave. Para muitos, ainda o mais importante é o piloto. Claro que sem um profissional bem qualificado como o piloto a segurança de um vôo vai ficar comprometida sim, mas não é só a figura do piloto que é responsável por um vôo seguro. Por trás dessa figura há um cabedal de outros profissionais que atuam para que o vôo possa ser um vôo perfeito e seguro. Um desses profissionais é o mecânico de manutenção aeronáutica , que também deverá ser bem qualificado para poder atuar e garantir ao piloto que a aeronave esteja em perfeitas condições para o vôo. Quando o passageiro se senta confortavelmente em sua poltrona , acende a sua luz de leitura, efetua uma chamada de comissários, sente a cabine com uma temperatura agradável , escuta os motores entrando em operação, sente a leveza dos movimentos da aeronave no taxiar na pista, tudo isso é possível somente graças a uma boa manutenção. E quem efetua essa manutenção? O mecânico aeronáutico, que muitas vezes é relegado a segundo plano nesse nosso sistema de aviação. Afirmo aqui que todos os profissionais que trabalham envolvidos na liberação de um vôo e na condução dele até o seu destino são responsáveis pela segurança do mesmo e ninguém pode ser considerado como o mais importante. Todos são importantes e todos podem cometer falhas que comprometerão essa segurança. Por isso, quando alguém estiver em um aeroporto para embarcar lembre que há mais profissionais na aviação do que somente os pilotos. Os pilotos são aqueles que durante o vôo irão guiar a aeronave em segurança, mas se alguém do sistema de aviação tiver falhado em algum momento, os pilotos terão trabalho dobrado para conseguir alcançar seu destino em plena segurança.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Lei 11.962 Transferência para o Exterior



Foi publicada no Diário Oficial desta semana a Lei nº 11.962, de 3 de julho de 2009, que altera o artigo 1º da Lei nº 7.604, de 6 de dezembro de 1982, e que entrou em vigor na última segunda-feira (6).Havia uma lei já desde 1982 que tratava deste assunto , mas era restrita somente para empresas prestadoras de serviços de engenharia. Hoje com a Lei publicada no dia 03 de julho passa a valer para qualquer setor da economia brasileira.

Para o professor de Direito Constitucional da UnB (Universidade de Brasília), Paulo Blair, a lei protege o trabalhador transferido para o exterior e sempre existiu, mas só na teoria. Na prática, nem mesmo as empresas de engenharia, obrigadas a obedecer às regras de forma clara, no texto da Lei nº 7.604, respeitavam esses direitos.


A lei brasileira protege o trabalhador brasileiro que vai morar em países cujo padrão de vida, na maioria das vezes, é mais alto do que no Brasil, sendo uma "medida excelente", na opinião de Blair. "Por que alguém deveria ir para fora para viver em condições inferiores?", questiona. "Não queremos ser um País que exporta talentos a preço de banana, para que seja gerada riqueza em outro país. Não queremos ser exportadores de mão-de-obra barata", acrescenta.

Sobre a lei abrange profissionais que ficarão no exterior por um período superior a 90 dias e que:


*Tenham sido cedidos à empresa sediada no exterior, desde que mantido o vínculo trabalhista com o empregador brasileiro;


* Ou que tenham sido removidos para o exterior, com um contrato que estava sendo executado no território brasileiro;


* Ou que tenham sido contratados por empresa sediada no Brasil para trabalhar a seu serviço no exterior.



O trabalhador de aviação deve tomar ciência desta nova regra, pois muitos são os casos de funcionários que são transferidos para outros países e desconhecem seus direitos.



Melhores detalhes acessar o site : http://www.administradores.com.br/noticias/lei_publicada_preve_beneficios_ao_profissional_transferido_para_o_exterior/24507

domingo, 12 de julho de 2009

Emissão de CO2 no Setor da Aviação


Uma publicação recente de legislação da União Europeia (UE) requer que as companhias de aviação monitorem e reportem dados verificados nas emissões de CO2 originadas pelas atividades de aviação em voos Internos da UE e em todos os voos que entrem ou saiam da Europa. Esta Regulamentação Europeia (Directiva 2008/101/CE) é uma adição ao Sistema Europeu de Comércio de Licenças de Emissão de CO2 (CELE) que se encontra em vigor desde 2005.

A Lloyd’s Register Quality Assurance (LRQA), uma organização criada para assistir no cumprimento destas obrigações será a responsável por essa verificação. Os verificadores de emissões de CO2 no LRQA Aviation Centre fizeram parte do consórcio que desenvolveu as linhas de orientação para monitorização, relatório e verificação de CELE no setor de aviação para a Comissão Europeia.Já foram realizados os primeiros diagnósticos de análises de falhas a companhias aéreas de referência, com o objetivo de assistir na redução do risco de não conformidades antes das verificações formais que ocorrerão em 2010.Esta preocupação com a emissão de CO2 já não é de agora, mas atitudes como esta da União Européia em relação a aviação são muito importantes para a preservação do meio ambiente e para o desenvolvimento de novas políticas no que se refere a este tema em outras regiões do planeta. Com estas medidas, os fabricantes de aeronaves terão que se adequar as novas regras para desenvolver projetos de aeronaves que reduzam cada vez mais a emissão de CO2 na atmosfera. Isto será benéfico para todos.


Fonte: http://www.qualidadeonline.com/

domingo, 5 de julho de 2009

Feira de aviação no Rio de Janeiro


De 24 a 26 de julho será realizada no Aeroporto Santos Dumont , no Rio de Janeiro , a Feira Nacional de aviação. Esta Feira será palco de visita guiada de mais de 1 mil estudantes da rede pública e também de escolas privadas. A cerimônia de abertura da Feira será no dia 24 de julho pela manhã. O Governador do Estado do Rio e o Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro estão entre os convidados. Vale a pena dar uma conferida neste evento que trará grandes novidades para todos nós.
Para melhores informações visitem o site: http://www.feiradeaviacaocivil.com.br/visitantes.php

Consulta Online Empresas de Manutenção

Proprietários e operadores de aeronaves agora podem consultar na Internet todas as oficinas de manutenção aeronáutica certificadas pela ANAC: são 458 no Brasil e 89 em outros países. A consulta online facilita a identificação das oficinas autorizadas pelo órgão regulador, com todos os meios de contato, além da descrição dos tipos de serviço e modelos de aeronaves atendidos em cada uma delas. Já os proprietários das oficinas também ganham mais agilidade para acompanhar o andamento de seus processos de autorização que tramitam na Agência. Para a consulta no site da ANAC na Internet basta digitar o número de protocolo da entrada do documento na ANAC.
Esta ferramenta irá agilizar não só o processo de consulta como também fomentará o mercado de manutenção aeronáutica no país, pois os proprietários de aeronaves terão em seu computador todas as informações necessárias para escolher qual a melhor oficina que atenderá suas necessidades. Vejo nessa ação da ANAC uma grande oportunidade para a geração de negócios das empresas de manutenção no Brasil.

Crescimento da Aviação Civil no Brasil

No ultimo dia 02 de julho a ANAC divulgou a informação de que a frota aérea registrada no Brasil encerrou o primeiro semestre de 2009 com um total de 12.178 aeronaves. Comparado ao número registrado há uma década, de 10.274 aeronaves em dezembro de 1999, o crescimento foi de 18,5%. Os dados são do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), administrado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e incluem desde os jatos das grandes companhias aéreas, os aviões e helicópteros particulares, táxi-aéreo, as aeronaves usadas na agricultura, em escolas de aviação, em reportagens e vários outros usos, até mesmo balões e um dirigível.

Se considerados apenas os helicópteros o aumento foi ainda mais significativo: já são 1.255 helicópteros no País, 59% a mais do que em dezembro de 1999. A frota das companhias aéreas que fazem transporte regular de passageiros e carga passou de 435 para 554 aeronaves neste mesmo período, um aumento de 27%.
Os números consideram a quantidade de registros, mas, como é natural, muitas das aeronaves deixaram de ser utilizadas e outras novas foram incorporadas à frota brasileira.
O Registro Aeronáutico Brasileiro também identifica os Estados com o maior número de aeronaves registradas, embora isso represente somente o local de cadastro e não a área de operação de uma aeronave. O Estado de São Paulo lidera esse ranking, com 3.641 aeronaves até 30 de junho deste ano. Em segundo lugar vem Mato Grosso (941), Minas Gerais (911), Rio Grande do Sul (891), Rio de Janeiro (818), Goiás (753), Paraná (718), Pará (715), Mato Grosso do Sul (540) e o Distrito Federal (281).
Esta informação nos traz algumas esperanças para o cenário atual, pois apesar de ser pouco tivemos algum crescimento . O período avaliado é de 10 anos e nesse interim aconteceu muita coisa com a aviação civil Brasileira. Durante esse período tivemos a quebra de grandes emprersas nacionais como a VASP, Transbrasil e Varig e apesar disso tivemos um aumento de 27% na frota das companhias aéreas que fazem vôo regular e que permanecem no mercado ou que surgiram recentemente. Isto nos dá esperanças de que a crise está passando e que se o Governo Brasileiro traçar uma política consistente para a aviação neste país em breve estaremos superando este crescimento em apenas meia década.
Fonte: Assessoria de Comunicação Social da ANAC
jornalismo@anac.gov.br

sábado, 13 de junho de 2009

Manutenção Aeronáutica

A manutenção aeronáutica é uma atividade que requer muito planejamento e conscientização dos profissionais quanto a sua realização. Este campo da aviação tem por obrigatoriedade dar condições seguras de trabalho aos seus profissionais e proporcionar-lhes os treinamentos necessários para o contínuo desenvolvimento e aprimoramento das técnicas utilizadas para a conservação das aeronaves e uma operação segura.

A manutenção aeronáutica se divide em 4 segmentos;

1-Manutenção Profunda e Modificações - inclui a manutenção profunda (heavy maintenance), incluindo os checks C e D, todo o espectro de modificações e revisões (upgrades) estruturais e de aviônicos, o cumprimento de boletins de serviço e de diretrizes de navegabilidade emitidas pelas autoridades aeronáuticas e fabricantes e a conversão de aeronaves de passageiros em cargueiros.

2-Manutenção de Linha - considerada toda a manutenção realizada no ponto de estacionamento das aeronaves sem recurso a desmontagens.

3-Manutenção de Motores - considerada como a manutenção realizada em motores uma vez removidos das aeronaves e enviados a entidades especializadas.

4-Manutenção de Componentes - considerada a manutenção de todos os componentes das aeronaves (exceptuando os motores) uma vez removidos destas e enviados a entidades especializadas. Nesta categoria incluem-se os componentes isoladamente e os conjuntos conforme removidos.

Este ramo de atividade vem crescendo pelo mundo a fora e já existem muitas empresas especializadas em manutenção de aeronaves. As grandes companhias aéreas possuem seus próprios parques de manutenção , mas a tendência e que elas optem por contratar empresas especializadas para a execução dos serviços ou mesmo descentralizarem essas instalações que possuem tornando-as uma unidade de negócios.

terça-feira, 9 de junho de 2009

O que é uma sonda de Pitot?




O tubo de pitot ou sonda de pitot (pitot probe) fornece pressão de ar de impacto através de uma abertura em sua parte anterior, para operação do velocímetro e do indicador de velocidade Mach (velocidade em relação ao som).
Os aviões que possuem instrumentação dupla lado-a-lado freqüentemente possuem um tubo de pitot separado para os instrumentos do lado do copiloto. Para uma operação mais precisa desses instrumentos os tubos de pitot são montados na área de perturbações mínimas de corrente aérea, paralelamente ao eixo longitudinal ou de avanço do avião. As localizações usuais são a seção do nariz ou o bordo de ataque da asa, ou do estabilizador vertical (conforme modelo de aeronave). Se não for possível encontrar uma área de ar relativamente não perturbado nessas regiões, a pressão de impacto poderá ser tomada de um tubo localizado á frente do avião chamado de “Boom” do sistema pitot-estático. O uso de um “boom”está normalmente associado com aviões de grande velocidade ou de teste.
Normalmente usa-se aquecimento nas instalações de tubos de pitot para evitar formação de gelo. Esse aquecimento deverá ser ligado toda vez que o avião for entrar em zona propícia a formação de gelo ou mesmo quando o vôo correr dentro de umidade visível. As aeronaves mais modernas já possuem dispositivos de aquecimento dos Pitot que entram automaticamente em funcionamento logo após a decolagem . Toda vez que que houver previsão de voar em tais condições, o sistema de aquecimento do pitot deverá ser testado antes da decolagem.

sábado, 6 de junho de 2009

Acidente AF447 .


No último dia 03 estava eu no aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim - Galeão, no Rio de Janeiro, poucos dias após ter ocorrido o acidente aéreo com o vôo da Air France , AF 447, realizado por uma aeronave Airbus A330-200, na mesma sala de embarque de onde partiram aquelas pessoas que estavam a bordo daquela aeronave. Estava eu a caminho de Porto Alegre em cumprimento de meu trabalho pela minha empresa, em mais um vôo pela Web jet , empresa esta aliás que muito me encanta pelo seu profissionalismo, e não posso negar que mesmo conhecendo bem uma aeronave, pois trabalho há anos com isso, naquele dia me sentia um pouco inseguro. Era uma mistura de angustia, depressão, apreensão e medo. Sentado na sala de embarque fiquei imaginando que aquelas pessoas que estavam naquele vôo da Air France também estavam alí dias atrás e com certeza tinham muitos sentimentos e pensamentos sobre aquela viagem, mas acredito que nenhum deles tinham a certeza do que iria acontecer.

Na aviação temos sempre a grande missão de garantir a seguraça de um vôo e todos os profissionais envolvidos com as operações aéreas sabem bem quais as suas responsabilidades. Ainda não sabemos ao certo as causas daquele acidente e não podemos nem conjecturar se foi falha humana ou falha mecânica ou ainda intempéries da região onde ocorreu o evento. O fato é que um acidente ocorreu e que a sensação de fragilidade humana fica cada vez mais evidente.Não sabemos o que pode acontecer daqui a um minuto.

Uma aeronave como o A330-200, que é top de linha, possui muitos recursos para evitar que um acidente venha ocorrer, mas aconteceu. Nada neste mundo é 100% seguro e isso fica claro para todos nós neste momento. O que importa é que por mais segurança que tentamos agregar a qualquer aparato tecnológico o homem sempre será a parte mais frágil e sofrerá as consequências de um acidente.

Continuo confiando na aviação como o meio mais seguro de transporte , mas acredito a cada dia que o futuro das pessoas sempre será incerto.

Meus sentimentos a todos os familiares e amigos das pessoas que estavam a bordo do AF 447.
Foto: Equipe de resgate no oceano Atlantico.

domingo, 31 de maio de 2009

O que é um CTM ?

Antes de mais nada a sigla CTM significa Controle Técnico de Manutenção.Poucos já ouviram falar dessa função, mas o profissional que trabalha em um CTM executa as seguintes tarefas, entre outras: Organiza e mantém atualizada a biblioteca técnica da empresa;
Efetua o controle de assinaturas e recebimento de diretrizes de aeronavegabilidade e boletins de serviço; Atualiza as fichas de inspeção relativas aos planos de manutenção das aeronaves; Mantém os arquivos de serviços efetuados e informação de pessoal técnico da empresa; Efetua Controle de Manutenção das aeronaves.

O CTM nada mais é do que ter um histórico da manutenção preventiva estabelecida pelo fabricante para cada modelo de aeronave e através dela planejar paradas da aeronave devido ao vencimento horário, calendárico ou cíclico de inspeções, revisões e trocas de componentes, diretrizes e boletins de serviço.

Esta atividade exige, então, que o profissional tenha como características : a concentração, o conhecimento de inglês técnico (para aeronaves fabricadas no exterior), o conhecimento de informática como usuário e, a vontade de aprender sempre.
Um profissional quando monta um plano de manutenção sua atenção deve estar focada em efetuar um trabalho sem erros, pois, qualquer controle que não esteja de acordo com o programa do fabricante ou do táxi aéreo pode causar sérios prejuízos financeiros e até mesmo colocar em risco a segurança de vôo da aeronave que está sendo controlada. Se um pequeno erro que seja for cometido no controle de vida útil de um componente e , esse erro originar a troca do componente antes da vida limite prevista o operador terá prejuízos financeiros se for uma peça de custo elevado. Se o erro resultar em uma previsão de troca do componente após a vida limite sérios riscos o operador corre, pois, a aeronave poderá voar com um componente com a vida útil já vencida e que pode falhar para a função que foi projetado colocando assim em dúvida a segurança de vôo.
Há tempos atrás não existiam os programas de computadores e toda a tarefa de controle era efetuada manualmente com caneta, papel e uma calculadora. Isto gerava um trabalho e tanto para o profissional da área. Porém, hoje contamos com diversos softwares que auxiliam estas tarefas de controle como planilhas eletrônicas , programas especiais para o controle de aeronave ou mesmo programas personalizados que as empresas podem desenvolver com a ajuda de um profissional de tecnologia de informação.
O departamento de CTM dentro de uma empresa é de vital importância para os operadores de aeronaves que queiram manter suas aeronaves aeronavegáveis e pelas empresas de manutenção que queiram oferecer um serviço com alto padrão de qualidade e segurança aos seus clientes.

Manter o controle sobre todos os aspectos de manutenção de aeronaves é de suma importância não só para gerar maior segurança , mas também manter a eficiência operacional reduzindo custos indesejáveis.