sábado, 22 de outubro de 2016

O fator Formação na liderança de equipes de manutenção aeronáutica




Liderar significa estar à frente de uma equipe. Liderar é o ato de organizar, orientar, acompanhar e controlar um grupo de pessoas para que os objetivos sejam alcançados.  Liderar não é tarefa fácil, aliás é complexo demais, pois comandar pessoas exige técnica, conhecimento, compreensão, dedicação e acima de tudo gostar de trabalhar com pessoas. Se você não possui essas características certamente não conseguira exercer a função de liderança com eficiência.
Um dos maiores erros encontrados na manutenção aeronáutica é achar que um excelente técnico obrigatoriamente será um bom líder. Isso é um erro clássico cometido na maioria das empresas. Nem sempre alguém que se apresenta com boas qualidades técnicas consegue ter uma visão administrativa ou desenvolver as competências necessárias para a liderança. No entanto, as empresas por não terem outra alternativa se veem obrigadas por muitas vezes a colocar mecânicos mais experientes e, que são altamente capacitados tecnicamente, para exercerem a função de líder onde  nem sempre conseguem os resultados esperados. Isto gera os seguintes problemas para a organização:

-  A empresa perde o potencial do mecânico que antes executava as tarefas com maestria e na maioria das vezes não tem “peças de reposição”, ou seja, não tem outro mecânico com a mesma capacidade técnica para substituir o profissional que passou a líder gerando uma perda considerável na capacidade produtiva;
- O profissional promovido não tem as competências necessárias e não consegue fazer a equipe produzir como deveria gerando um custo para a empresa que muitas vezes não não tem retorno;



Para evitar estas situações, as organizações de manutenção aeronáutica deveriam manter programas de formação de líderes identificando os profissionais que teriam as competências necessárias para serem futuros líderes de manutenção. Ao mesmo tempo, as escolas e universidades teriam que desenvolver uma grade curricular e disciplinas que fossem voltadas para a formação de líderes na aviação. Na verdade, o Brasil caminha a “passos de tartaruga” no que tange a criação de centros formadores de profissionais de manutenção aeronáutica. Enquanto em outros países da Europa , América do Norte e alguns da Ásia existem Centros de Treinamento e Formação de profissionais em várias disciplinas, aqui no Brasil são raros os cursos de nível técnico e/ou superior voltados para a área de aviação. Ou lutamos pela implementação de uma política educacional na área de aviação ou teremos em um futuro breve a dizimação de várias categorias de profissionais, dentre elas, as de mecânicos de manutenção de aeronaves e de líderes de equipes.