segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

A crise econômica x formação de profissionais técnicos.

A crise econômica européia está fazendo grandes estragos em vários países do mundo inteiro e não somente naqueles que compõem aquele continente. O Brasil está, até o presente momento,vivendo uma situação tranquila sem maiores transtornos e isso salta aos olhos de economistas do mundo inteiro.Com isto, grandes empresas buscam se estabelecer por aqui visando o crescimento econômico brasileiro que se alardeia no cenário internacional.Empresas como a Boeing, Pratney Whitney, Rolls Royce entre outras, já se mobilizam para "demarcar terrotório"e combater os concorrentes que também tentarão chegar até aqui. O Brasil porém, precisa estruturar um sistema educacional profissionalizante que forneça mão-de-obra qualificada para estes parceiros da nova economia brasileira. Está na hora de empresas exercerem sua condição de formadoras de cidadãos e profissionais para construir uma base sustentável da nação em relação ao mundo globalizado . Hoje já existem empresas do segmento da aviação que se preocupam coma formação de seus funcionários e algumas delas possuem centros de formação que são mantidos por elas próprias. A Embraer é um exemplo dessas empresas através do Colégio Juarez Wanderley. O objetivo do Colégio Embraer Juarez Wanderley é a formação dos estudantes do ponto de vista global e abrangente, possibilitando seu ingresso em instituições de ensino superior e o seu desenvolvimento como sujeito protagônico e transformador. A TAP Manutenção e Engenharia Brasil S.A é uma das empresas que atuam no ramo da aviação como prestadora de serviços de manutenção aeronáutica e forma seus mecânicos através da Escola de Formação de Mecânicos de Manutenção Aeronáutica -EFMMA,que funciona nos centros de treinamento da própria empresa, nas cidades do Rio de Janeiro e Porto Alegre , que são certificados pela ANAC através do RBHA 141. Estes são apenas alguns exemplos de empresas desse nicho que já se preocupam com a formação de profissionais para o mercado da aviação. Idéias iguais a estas fazem o crescimento econômico do Brasil e incrementam o "know how" dos profissionais da aviação brasileira. Vejo que o governo poderia incentivar esssa prática dentro das organizações para que o processo de formação de pessoal qualificado para o mercado de trabalho seja acelerado para poder atender a demanda dos próximos 5 anos.

Nenhum comentário: