segunda-feira, 22 de março de 2010

Itajubá e a Helicopter

Itajubá receberá investimentos para dobrar a capacidade da Helibras na fabricação de helicópteros e consequentemente aumentar a oferta de empregos na região trazendo um maior progresso para a região.Na última sexta-feira, 19/03,na presença do governador Aécio Neves , do ministro da defesa Nelson Jobin e do presidente da fábrica Eurocopter Lutz Bertling, foi inaugurado o início das obras.

Mais informações no site :http://www.agoravale.com.br/agoravale/noticias

quinta-feira, 18 de março de 2010

APU -Auxiliary Power Unit


A APU ( unidade de força auxiliar) tem a função de permitir a total independencia do avião em relação a fontes externas de energia pneumática e corrente elétrica quando a aeronave estiver no solo .

Durante a decolagem esta unidade fornece ar para o sistema de ar condicionado e para o sistema de degelo das asas (em alguns modelos de aeronaves) evitando desta forma a redução de potencia dos motores que seria originada pela sangria de ar dos mesmos.

Em voo esta unidade se torna um back up para:
  • Sistema elétrico ( geralmente abaixo de 40000 pés);

  • Sistema de ar condicionado ( abaixo de 20000 pés);

  • Sistema de degelo das asas ( abaixo de 20000 pés) ;

Até 20000 pés de altitude a APU tem capacidade de fornecer energia elétrica e pneumática simultaneamente. Acima de 20000 pés a APU só pode fornecer energia elétrica a qual é prioritária .

A APU geralmente se localiza no cone de cauda da maiora das aeronaves, mas pode variar entre o alojamento do trem de pouso principal a porão de carga de alguns outros tipos de aviões.Maiores detalhes voces poderão acessar o site : http://www.b737.org.uk/apu.htm#Components

domingo, 14 de março de 2010

SENAI São José SC na Olimpíada do Conhecimento no Rio de Janeiro.

Nos dias atuais muito se fala que estamos na era do conhecimento e que, quem o detém, se torna um privilegiado no mundo econômico. Já tivemos a era do bronze, a era medieval, a era da escravidão, a era da informática e agora a era do conhecimento. Dizem por aí que a pior guerra que está por vir não é a guerra atômica e sim a do conhecimento, pois caso haja um detentor universal de todas as informações que existem no mundo , esse alguém ou a nação será o mais poderoso do planeta podendo controlar tudo e a todos . Mas o saber, o conhecer não são maléficos para o mundo. O conhecer é o alicerce para as transformações sociais e para a melhoria de vida das pessoas. Quem conhece chega mais longe ou sobrevive mais.
Visitei no último dia 12 a Olimpíada do Conhecimento que está ocorrendo no Rio Centro, aqui no Rio de Janeiro, evento este que tem seu término hoje, 14/03. São várias unidades do senai do Brasil inteiro participando com seus alunos e professores deste evento de grande valia para o cenário educacional-técnico deste país. Como sou da aviação, não posso deixar de destacar aqui a presença da unidade do Senai de São José , do estado de Santa Catarina, que trouxe para este evento uma proposta muito interessante de uma nova modalidade de curso de formação de mecânicos de manutenção aeronáutica. Para minha surpresa, esta unidade do Senai tem uma proposta que vai de encontro ao que já falo a algum tempo aqui no Blog sobre a necessidade de se ter uma forma mais atualizada de se formar mecânicos de manutenção, ou seja, uma grade curricular mais adequada a realidade do campo profissional do momento e, a expansão deste tipo de curso de formação para todo o Brasil, não se restringindo apenas aos grande centros, pois a aviação chega a qualquer lugar deste país. Com uma aeronave EMB 110 em seu estande, o Senai São José ficou em destaque entre os demais chamando a atenção de muitos alunos e professores dos demais estados e também dos leigos que por ali passavam. A equipe de alunos e professores da unidade São José , estavam ali sempre solícitos a explicar sobre o cursos e sobre o avião Bandeirante que estava ali. Fica aqui este registro desse evento que merece todo a nossa atenção , pois o Brasil precisa de novos talentos na área tecnológica para que se renove as esperanças de um futuro competitivo e crescente na industria nacional.

domingo, 7 de março de 2010

Educação continuada para mecânicos de manutenção aeronáutica

Aqui no Brasil há décadas a formação de mecânicos de manutenção aeronáutica é focada em fornecer os conhecimentos técnicos básicos necessários para que uma pessoa possa desempenhar atividades ligadas a manutenção de forma segura. Depois que o aluno termina o curso de formação em uma das especialidades (GMP, Célula ou Avionicos) , ele está habilitado a prestar exame teórico junto à ANAC ( Agência Nacional de Aviação Civil) e, se aprovado,tendo que atingir pelo menos 70% de aproveitamento, ele já pode trabalhar como auxiliar de mecânico em empresa homologada. Após 3 anos de experiência na atividade de manutenção ele poderá prestar um exame prático, aplicado pela ANAC ou por examinador credenciado pela ANAC em empresas aéreas ou de manutenção e, se aprovado, terá direito ao CHT ( certificado de habilitação técnica) que é a credencial para poder exercer a profissão de mecânico de manutenção aeronáutica. Mas e depois? O que se prevê para estes profissionais em relação a treinamento ou educação continuada?No Brasil não há uma regra muito clara a este respeito em relação ao profissional de manutenção aeronáutica. O treinamento continuado fica a cargo das empresas que empregam a mão-de-obra, mas caso a empresa não ofereça esta modalidade de treinamento o que o profissional poderá fazer? Não poderá fazer nada , pois não existe ainda uma visão por parte das escolas de formação da necessidade de se atender a esta exigência do mercado atual. Raramente encontramos escolas que ofereçam cursos de educação continuada para mecânicos de manutenção. A maioria delas continuam como a décadas atrás oferecendo somente os cursos de formação. Hoje o processo de evolução das tecnologias e conceitos técnicos mudam a todo instante e os profissionais da área de aviação precisam estar atualizados com o mercado ecom as legislações pertinentes a estes. Quem trabalha em grandes companhias aéreas ou em empresas de manutenção aeronáutica de grande porte geralmente recebem estes tipos de treinamento , mas aqueles que trabalham em pequenas empresas e até os que estão fora do mercado de trabalho (desempregados)como conseguirão se atualizar se não há cursos oferecidos nas escolas ? É hora das isntituições de ensino acordarem para esta realidade e para esta fatia do mercado.