segunda-feira, 30 de novembro de 2009

SIPAT 2009 -Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Antonio Carlos Jobim-Galeão

Na semana de 23 a 27 de novembro aconteceu o evento denominado de semana interna de prevenção de acidentes no trabalho (SIPAT), no Aeroporto Internacional do Galeão,com várias palestras e atividades para o público em geral, já que, neste ano, o evento ocorreu no saguão do aeroporto onde todos que passavam por ali podiam participar assistindo às palestras ou visitando os diversos estandes ali montados.

No dia 25 o tema da palestra foi "voar é seguro" e fui convidado para falar sobre o assunto. Fiquei muito contente com o convite e por poder falar ao público em geral sobre um tema que ainda é muito questionável , pois nem todos confiam que voar é seguro.
Falar sobre o tema acima para uma platéia heterogênia, mas onde todos estavam envolvidos na aviação ou em trabalhos relacionados a área aeroportuária, foi um desafio bastante interessante. A atividade desenvolvida por todos os funcionários do aeroporto e das companhias aéreas que ali operam, como também as empresas de serviços auxiliares e as demais que compõem esse complexo, são extremamente importantes e podem ajudar imensamente a aumentar a segurança de um voo se todos trabalharem dentro dos preceitos de que, a segurança no trabalho, tem que ser o alicerce para o desenvolvimento das tarefas por elas executadas. Falar de segurança de voo sem levar em consideração o elemento humano é falar de algo que não tem sentido. A segurança tanto de voo como a do trabalho depende do homem, ou seja, temos que trabalhá-lo para que a filosofia da segurança possa ser colocada em prática. Aspectos relacionados ao ambiente de trabalho como exposição ao ruido, às intempéries , a pressão do tempo para liberação de serviços, jornadas de trabalho prolongadas, utilização de ferramentas inadequadas , etc, levam o elemento humano a desenvolver uma atmosféra de insegurança. Os fatores humanos devem ser estudados e trabalhados para que se possa desenvolver um âmbiente onde o homem possa trabalhar em segurança e com consciência de que ele é a segurança. Segurança só existe se houver prudência. De nada adianta ter um equipamento de última geração e um local de trabalho com todos os recursos, se o homem não agir com prudência naquilo que faz. Por isso, trabalhar o elemento humano nos dias de hoje é mais importante do que o desenvolvimento tecnológico. As modernas aeronaves possuem equipamentos de alta tecnologia que foram concebidos para não falhar no aspecto operacional , mas ainda dependem de informações inseridas pelo homem e por isso os erros ainda acontecem, mas podemos afirmar que voar ainda é seguro devido ao grande trabalho realizado no campo da aviação civil nessa área de fatores humanos, mas se com o avanço tecnológico e com as demandas comerciais onde o lucro vem acima de tudo , o elemento humano for esquecido aí poderemos começar a temer que algo poderá acontecer com a segurança de voo.

Nenhum comentário: