sábado, 7 de fevereiro de 2009

Avião Pousa no Mar da Austrália


Mais uma aeronave em situação de emergência realizou um pouso forçado sobre as águas. Desta vez o fato aconteceu na Austrália em pleno mar no litoral da cidade de Darwin. O piloto Steve Bolle conseguiu aterrisar o avião de pequeno porte e salvar a vida dele e de cinco passageiros. Logo após a decolagem a aeronave perdeu potência e o piloto se viu obrigado a efetuar essa manobra.
Fatos iguais a esses não são tão raros assim. Ao longo da história da aviação muitos casos já foram registrados embora muitos com finais nada felizes. Um dos casos mais famosos de pouso bem sucedido no mar aconteceu com uma aeronave da VARIG no ano de 1957, no mar do Caribe, próximo a cidade de Trujillo (hoje Santo Domingo)na República Dominicana. Uma aeronave modelo Super G-Constellation com quatro motores, fazia o Vôo 850 proveniente do Rio de Janeiro com destino a Cidade de New York, quando uma série de problemas técnicos ocorreram com os motores fazendo com que, a aeronave, ficasse com somente um motor operando. Mediante essa situação o Cmte Geraldo Knippling se viu forçado a tomar a decisão de pousar sua aeronave nas águas do oceano. Diga-se de passagem foi um pouso não tão tranqüilo assim , mas conseguiu salvar a maioria das pessoas a bordo. Este caso é mais detalhado no livro “Falando de Avião” , da Editora Gráfica Metrópole e de autoria do próprio Comandante do Vôo.
Outros casos tiveram um final trágico como o do B767 que por falta de combustível após sequestradores desviarem a aeronave de sua rota obrigou o piloto a pousar a aeronave no mar , mas sem operação dos motores a dificuldade para controlar a aeronave se torna muito grande e a aeronave acabou se espatifando na superfície do oceano se desintegrando e matando muitos passageiros .
O fato é que esses pousos sobre as águas são previstos para uma situação de emergência e se uma tripulação competente e bem treinada estiver a bordo o pouso tem grande chances de acabar bem como a que ocorreu na Austrália.
Foto: http://www.g1.globo.com

Nenhum comentário: